Castigando o 6 cilindros a Álcool


Quando era adolescente eu fui para o litoral passar umas férias e de frente com a minha casa tinha uma vizinha que ia sempre pra praia com uma caminhonete branca. Uma a20 motor 6 cilindros a álcool.

Era uma mulher de cabelos negros cacheados que tinha os seus 32 anos na época, suas irmãs também iam para a praia e iam todas naquela linda caminhonete. Eram ao todo 4 irmãs.

A mais velha, que era a dona da caminhonete, sempre andava descalça e dirigia descalça também. Um dia ela convidou um pessoal para ir à praia e eu fui também. Marcaram de se encontrar na praia já e fomos na caminhonete eu ela e mais as outras irmãs.

Eu fui na cabine com duas e as outras na carroceria, na época não era proibido andar lá. Fiquei no meio e estava bem perto daquelas pernas lisinhas e daqueles pesinhos perfeitos de unhas sem esmalte e marquinhas do tapete no calcanhar.

Era bem cedo pois de viagem daria uns 30 minutos para chegar à praia se nao tivesse trânsito. Então o que eu mais queria que acontecesse era a caminhonete não pegar. Eu sonhava com aquele momento, pois eu estava muito próximo daqueles pesinhos. E já tinha ouvido esse motor roncar algumas vezes por demorar a funcionar.

Então ela já foi logo apertando a embreagem e girando a chave. Puxou o afogador e deu partida. O carro não pegou. Ela tentou mais uma vez e nada. Outra tentativa e nada. Aí uma das irmãs disse: Por que você não ligou ela antes pra esquentar? A outra respondeu: Achei que não seria preciso, mas ela vai pegar já já e o motor esquenta rapidinho.

Ela então abaixou o afogador e pisou no acelerador até a metade. Deu partida e o carro não pegou. Minha nossa, nem sei como não agarrei aqueles pés quando ela deu as primeiras bombadas no acelerador. Ela esticava o pezinho e aquele ‘toc’ ‘toc’ do pedal encostando no assoalho me deixou louco.

ela deu umas 6 bombadas e deu partida. Depois mais 6 bombadas e partida. Nada do carro pegar. Ela então começou a bombar mais rápido e por mais tempo, deu mais umas 20 bombadas e deu partida. O carro Nada. Ela então deu partida com o afogador puxado outra vez. E o carro ameaçou pegar. Outra partida com afogador, o carro ameaçou epgar mas não pegou. Ela desligou o afogador deu mais 15 bombadas desta vez com mais violência e rapidez que aqueles pezinhos podiam fazer de tão delicados naquele pedal enorme.

Ela então deu partida outra vez com o pezinho bombando o acelerador bem rápido e forte e o carro ameaçou mas não pegou. Outra tentativa, pezinhos jogando o acelerador no chão e nada. Aí ela esticou aquela perna linda e aqueles pezinhos deliciosos para afundar o acelerador. Aquele dedão suculento empurrava o acelerador até o chão e então ela deu partida e o carro pegou meio acelerador mas ameaçando morrer.

Ela com grande habilidade foi pisando e soltando o acelerador até um ponto mas não até o final, pra tentar manter o motor ligado e à medida que ele se demonstrava afim de acordar ela se mostrava afim de acelerar. Eu não conseguia tirar os olhos daquele pezinho mágico e ela então conseguiu dar uma acelerada forte. O motor berrou mas quando ela tirou o pé voltou a engasgar, ela então deu mais umas 3 aceleradas bem fortes no carro. Aquele 6 cilindros rugiu alto a cada pisada. Ela fazia o chão tremer a cada acelerada e eu estava ficando muito excitado até que ela começou a tirar o carro da garagem.

Engatou a ré e foi tirando o carro sempre dando aceleradas fortes, pisando e soltando. A esta altura não queria mais saber do afogador. Ela ia demonstrando grande habilidade e conhecimento do carro. Quando saiu da garagem continuou dando aquelas pisadas fortes soltando e pisando outra vez enquanto a outra irmã fechava o portão.

Quando ela entrou de volta na caminhonete saímos e eu não tirava os olhos daqueles pés, nem tentava disfarçar mais. Então ela engatou a primeira e saiu acelerando, o carro deu de engasgar e ela colocou a embreagem no fundo e deu 4 violentas aceleradas pra tremer o chão. aqueles pesinhos esticados pra afundar o pedal era demais, esgoelou sem dó.

Continuamos o caminho e algumas vezes quando parávamos no semáforo ela dava umas pisadas pra acabar de aquecer o motor até entrarmos na Rodovia. durante a viagem fomos tranquilos pois o motor esquentou e eu fui observando a paisagem e de careta com aqueles pesinhos lindos e pesadinhos. ela andava bem na estrada. Pisava mesmo.

Passamos um dia incrível na praia e eu estava sempre próximo pra ver aqueles pezinhos com as marcas do tapete no calcanhar, uma delícia.

Na volta já estava escurecendo e nós estávamos saindo de lá. Uma das irmãs resolveu ligar a caminhonete pra esquentar outra vez. Ela sentou ao volante e com a porta aberta já foi pisando no acelerador com tudo deu partida e o carro roncou na hora. eu estava por perto e fiquei vendo de longe ela das cada acelerada fenomenal. Pisava fundo mesmo, mas não esgoelou aquele 6 cilindros como sua irmã tinha feito de manhã.

Anúncios

2 comentários em “Castigando o 6 cilindros a Álcool

Comente sobre essa História

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s