A Morena da Marajó Acelerando Meu Carro


Depois de dar carona para a morena da marajó, fiquei sabendo qual era o percurso dela para voltar pra casa e um dia eu resolvi arriscar ver mais aceleradas dela. Parei meu carro próximo de onde a ajudei e abri o capô do carro para simular um problema e fiquei encostado no carro por uns quinze minutos.

Quando vi aquela marajó eu fiquei animado e fingi estar no celular. Ela me avistou e encostou o carro. Desceu e me perguntou se eu precisava de ajuda. Eu disse que a bateria tinha arriado e precisava dar um jeito de ligar o carro. Ela me perguntou se eu queria dar um tranco. Eu disse que tinha os cabos para ligar em outra bateria, se ela pudesse virar o carro dela de frente pro meu seria rapidinho.

Ela concordou e foi andando com sandálias e aqueles lindos pezinhos pra manobrar o carro.

Quando abri o capô do carro dei uma olhada na bateria e vi que era mais fraca que a minha. Ela desceu e me viu conectando os cabos no meu carro. Ela perguntou o que deveria fazer? Eu disse que a bateria dela era mais fraca que a minha por isso teria que ser jogo rápido a partida pra não descarregar a dela.

Perguntei se o motor do carro dela estava quente o suficiente pra não morrer, ela disse que não tava muito não pois não tinha andando muito. Mas que ia dar uma esquentada. Eu disse que seria melhor. Ela foi para o carro dela e deu umas 4 aceleradas até o meio e mais 3 pisadas bem fortes e depois uma até o meio e mais demorada.

E desceu do carro dizendo que a temperatura do motor estava na metade. Eu disse pra ela dar partida no meu carro e assim que ele pegasse eu desligaria os cabos da bateria dela pra não drenar a energia. Ela disse ok. Eu pedi pra ela dar partida e não deixar o carro morrer. Pedi pra ela meter o pé no acelerador de uma vez.

Ela concordou e sentou ao volante. Deixou o pezinho esquerdo do lado de fora do carro e posicionou o pezinho apertando o acelerador. Eu olhava o cabo do acelerador se mexendo e fui ficando muito excitado. Fingi que conectei o cabo no carro dela e acenei com a cabeça pra ela dar partida.

Ela bateu na chave e o carro pegou já acelerado. Ela ligou com o pé no acelerador pra mais da metade. Eu fui desconectando o cabo enquanto ela pisava no acelerador. Apertava e soltava cada vez mais forte. eu ouvia o motor roncando e o cabo do acelerador mexendo e me excitava mais cada vez que ela pisava mais forte.

Ela foi pisando cada vez mais forte e começou a pisar bem fundo. O motor gritava e ela castigava o acelerador pisando sem dó até o fundo. Soltava e metia o pé outra vez. Eu enrolei os cabos e fui ver o show ao lado da porta do motorista. eu disse a ela pra pisar até o fundo e ela então meteu o pé sem dó segurando no fundo. Depois de alguns segundos soltou e eu pedi outra e ela atolou o pezinhos de novo. Dava pra ver aqueles dedos trabalhando dentro da sandália fazendo o carro urrar alto sem medo nem piedade.

Depois de umas 4 atoladas de pé até o fundo segurando o acelerador ela começou a dar violentas aceleradas tipo apertando até o fundo e soltando até a metade e eu dizia pra pisar mais e mais e mais e ela atendia metendo o pezinho no acelerador sem dó. Depois de mais algumas esgoeladas eu disse que estava a bom e e agradeci a ajuda. Nos despedimos e nos encontramos outras vezes.

Anúncios

Comente sobre essa História

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s