A Morena da Marajó Verde


Um dia eu estava no posto de gasolina abastecendo o carro e calibrando os pneus, o dono do posto era um amigo e estávamos conversando quando chegou uma morena linda com belos calcanhares, usando um tamanco.

Ela comprou um galão de gasolina e o dono do posto, que a conhecia, perguntou o que tinha acontecido. Ela disse que o carro dela estava sem combustível, o marcador estava estragado. E ela ia levar o galão para conseguir chegar no posto com o carro.

O meu amigo perguntou se o carro estava longe e ela disse que estava a uns 4 quarteirões dali. Eu disse que estava indo embora e se ela quisesse podia dar carona. Ela aceitou.

Paguei meu combustível ela pagou o dela e fomos até onde estava o carro. Era uma marajó verde já bem castigada pelo sol. Encostei o carro e ela desceu com o galão. Eu ouvia o sapato dela batendo naqueles pezinhos branquinhos e me enchi de tesão. Decidi descer também. Ela foi logo pegando um funil que estava dentro do carro e colocando o galão perto do tanque. Me ofereci pra colocar a gasolina enquanto conversávamos.

Eu disse que se ela quisesse já ir bombeando o acelerador pra dar partida no carro seria mais fácil. Ela concordou e já foi sentando no banco com o pé esquerdo fora do carro esticado para trás revelando boa parte daquela solinha espetacular. Ela foi bombando devagar e eu terminei logo e fechei o tanque. Corri pro lado do carro e me encantei com aquele pezinho direito perfeito bombando o acelerador.

Ela já foi logo dando partida e o carro levou algumas tentativas para pegar. Na 3 tentativa, e depois de muitas bombadas no acelerador o carro pegou. Ela ficou dando aceleradas de leve até o carro firmar a lenta um pouco mais, depois passou a acelerar mais forte. Eu delirava com cada acelerada daqueles pezinhos perfeitos até que ela começou a pisar forte. Dava aceleradas até perto do fundo e soltava rápido.

Estava sentindo o carro. Eu disse que ela deveria dar umas esgoeladas pois o carburador podia estar sujo. Ela então deu 2 aceleradas até o talo. Se virou e perguntou se era daquele jeito. eu disse sim dê umas boas aceleradas.

Ela então começou a mesclar aceleradas até o meio e pisadas até o fundo depois deu 5 socadas no acelerador até o final sem dó, com aqueles pés perfeitos e descalços. Deu um tempo com o acelerador mantendo-o na metade e depois mais umas 5 pisadas violentíssimas no carro. O motor da marajó urrava a cada acelerada. Ela colocou o pé esquerdo dentro do carro e tirou o tamanco, agradeceu a minha ajuda e se despediu dando mais algumas aceleradas fortes.

Anúncios

Comente sobre essa História

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s