Tereza Ligando o meu Carro


Tinha uma mulher que fez faxina em casa como diarista há muito tempo. Ela se chamava Tereza, já era uma senhora de 50 anos mas tinhas pés bem bonitos, gordinhos mas bonitos. Estava saindo pra trabalhar um dia e vi a Tereza limpando os vidros do banheiro. ela tinha subido na escada estava nos degraus mais altos.

Quando passei não tive como não reparar naqueles calcanhares lisinhos e rosados. Ela estava sem chinelo na escada. Passei mais uma vez por perto e ela estava se esticando com o pano e revelando a sola do pe direito. Quase cai de costas. Que solinha linda rosadinha e deliciosamente pronta pra ganhar uns bjos.

Fui pra garagem e arrumei minhas coisas no carro e fiquei ali um tempo pensando naqueles pezinhos lindos.

Voltei com o coração a mil por hora, esperando uma recusa, e pedi pra ela me ajudar com um problema que estava com o carro. Ela pendurou o pano na escada desceu os degraus, calçou os chinelos e me seguiu até o carro.

Eu pedi pra ela sentar-se ao volante que eu queria ver uma coisa por baixo do painel. Corri para o lado do carona. Era um gol cl 98, tinha console central mas por trás dava pra acessar o acelerador ou mesmo só ver. Eu me enfiei embaixo do painel e fiquei ali fingindo mexer em algo e disse pra ela ligar o carro.

Ela não falava nada, mas quando eu disse que estava desengatado já, ela tirou os chinelos, aquilo me deixou excitado, mas eu atrás do painel olhando o acelerador quase desmaiei quando ela colocou o pé no acelerador e apertou ele até o fundo sem cerimônia.

Até hoje não sei se a Tereza sabe dirigir, mas que ela me proporcionou bons momentos naquele dia, isso eu garanto. Quando ela apertou o acelerador eu disse que ia girar a chave. Enquanto eu virava a chave ficava olhando aquele pezinho gordinho e suculento afundando no acelerador fiquei extremamente excitado quando o carro deu partida e ela não tirou o pé do acelerador.

O carro gritava e ela manteve o pé fincado como se nada estivesse acontecendo. Eu ali lado a lado com aquele acelerador todo apertado, cara a cara com aquele pezinho fazendo o carro gritar fiquei hipnotizado por alguns segundos ate que pedi pra ela soltar o acelerador.

Ela soltou e eu fingi mexer em algo e pedi pra ela acelerar de novo. Não deu outra, ela fincou o pé outra vez. Eu ali cara a cara com aquele acelerador e aquele pezinho me excitava muito e ela não soltava o aclerador. Ficava com o pé atolado e não demonstrava nada de medo nem dó. O golzinho urrava alto e eu pedi pra ela soltar outra vez.

Pedi pra ela ficar pisando e soltando o acelerador e ela ajeitou o calcanhar no chão e ficou pisando e soltando até o fundo o acelerador. O carro roncava gostoso e eu ali ao lado vendo de camarote aquele show! Aí pedi pra ela acelerar de novo como antes e ela fincou o pé outra vez o carro urrou de novo e pedi pra ela soltar.

Falei pra ela tentar pisar até o fundo, eu sabia que já tava no talo, mas joguei pra ver o que acontecia. Ela não falou nada só enfiou o pé no acelerador e eu me voltei pra baixo do console pra ver aqueles dedos apertadinhos no acelerador fazendo o carro gritar alto, atolando o acelerador no fundo. Os dedos já esbranquiçados pela força que ela fazia e fiz ela esgoelar o carro por alguns segundos.

Pedi pra ela parar e agradeci a ajuda. Fui trabalhar com o pau melado já.

Anúncios

Comente sobre essa História

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s