Sweet Girls Feet in Socks Abusing the Motor


This Sweet girl didn’t loss time!!! She Just Want to floor the gas pedal and make this poor engine suffer for Almost 4 minutes of pure Extreme Hard Revving!!!

Will she kill this engine? How Much Time she can hold the gas pedal to the floor?


Things are better in pairs!!! 2 videos in one post! Let’s see how hard this girl can push the gas pedal down. Look how much time she holds the gas pedal to the floor every time she smash it down. Barefoot > Pedal to the Floor > no mercy  > Engine Screaming OMG now we have a deal!!!!!

 

Girl Making the Truck Scream for Mercy


Check out this Beauty Queen of Hard Revving Givvin’ her truck the proper treatment for not starting. An Angry and Good extreme revving session!! Come on baby make this engine scream out hard!! Boots to the floor!

Mulher Acelerando o Puma


Andando pelo centro da cidade, avistei uma mulher loira de uns 45 anos, calçando um par de tamancos que só mostravam o calcanhar lisinho dela. Ela estava abrindo a porta de um Puma, um carro antigo feito na plataforma do fusca, portanto, com aqueles pedais perfeitos pra assistir um show de Pedal Pumping.

Quando ela entrou e trancou a porta eu andei mais rápido para ver se ia dirigir descalça. Ao passar ao lado, olhei pela janela enquanto ela bombeava o acelerador, de tamancos, antes de ligar o carro.

Ela dava umas bombadas fortes no acelerador antes de dar a partida. O semáforo fechou para os pedestres e fiquei prestando atenção ao carro para ver se ela acelerava. Depois de umas bombadas ela deu partida com o pedal apertado, quando o carro ligou estava acelerado, mas não até o fundo.

Ela deu algumas aceleradas até a metade e foi saindo quando o carro morreu. Ela deu partida outra vez mas o carro não pegou. Ela então deu mais algumas bombadas no acelerador e deu partida novamente. Enquanto o semáforo não abria eu prestava atenção aos sons e movimentos dela dentro do carro.

Ao dar a partida novamente o carro pegou mais acelerado que da primeira vez. Ela deu mais algumas aceleradas mais fortes que o meio e foi sair da vaga. Quando foi sair da vaga o carro ameaçou morrer outra vez.

Quando o carro ameaçou morrer ela logo pisou na embreagem e deu 3 esgoeladas no puma. Pisou forte sem dó até o final. Saiu uma fumaça característica do escapamento quando dá essas aceleradas. O carro gemeu alto chamando atenção na rua.

Depois das 3 esgoeladas ela deu mais umas 3 aceleradas fortes e saiu com o carro pisando fundo pra ir embora.

Amiga do Trabalho Acelerando Meu Carro


Alguns meses depois de ver a Mulher Acelerando seu Renault Duster, me senti inspirado e fiquei pensando quando veria novas aceleradas como aquelas. Eu marquei com uma amiga do trabalho pra ela ir em casa negociar uns móveis que eu estava vendendo. Quando ela chegou, meu carro na garagem estava com o capô aberto. Ela parou o carro dela em frente ao meu e fui recebê-la. Era uma loira meio gordinha, com um lindo sapato de salto alto com o calcanhar à mostra e preso com uma tira no calcanhar.

Ela tinha pezinhos 36 lindos lisinhos. Já a tinha visto um dia numa piscina e ela tinha solinhas perfeitas. Infelizmente era casada. Devia ter uns 33 anos na época. Ela me perguntou o que tinha acontecido, disse que a bateria havia arriado e que precisaria que ela me ajudasse. Ela logo disse que quem empurraria seria eu e deu risada.

Eu perguntei se ela sabia dar tranco. Ela disse que sim. Eu, em tom de brincadeira, perguntei como se fazia. Ela logo disse “É so deixar a chave virada, engatar a segunda e dar o tranco, quando pegar dá uns pisões no acelerador”. Aquela conversa já estava me deixando de perna bamba. Eu então disse que ela teria a chance de provar que sabia.

Entramos e negociamos por algum tempo. Fechamos negócio e ela me disse que mandaria alguém buscar a cama e a mesa que ela tinha comprado. Quando fomos saindo da casa ela me perguntou se precisava de ajuda com o carro e eu disse que podíamos tentar ligar. Caso contrário teria que comprar uma bateria nova.

Ela então falou que ia tirar o carro dela da frente para que o meu pudesse passar. Manobrou rapidamente e com grande habilidade. Veio então para o meu carro e já foi se ajeitando no banco. Puxou o banco pra frente para alcançar os pedais, apertou a embreagem e revelou aquele calcanhar lindo e lisinho bem esticadinho. Deu uma apertada no acelerador, como que querendo sentir a dureza do pedal.

Engatou a segunda marcha e girou a chave. As luzes acenderam forte, pois o carro não tinha problema nenhum. Mas ela não sabia, então eu disse que ela podia soltar o freio de mão que eu empurraria.

Ela soltou o freio e o carro começou a se movimentar. eu fazia força pra que ele andasse mais rápido mas sempre do lado da porta do motorista pra ver aqueles pezinhos lindos acelerando.

Ela me disse que ia dar o tranco. Eu acompanhando tudo aquilo pela janela até que ela deu o tranco e pisou no freio. O Carro tinha pegado, ela logo que parou o carro, puxou o freio de mão e já deu logo uma acelerada forte no carro.

Ficou dando umas aceleradas até a metade, pisando e soltando. Depois voltou a acelerar forte. Deu umas 10 pisadas até o fundo e soltou. Pisou de novo e soltou. Sempre encostando o pedal no fundo e soltando.

Eu estava muito excitado e queria mais. Pedi pra ela dar ré e voltar com o carro pra garagem. Ela com habilidade parou rapidamente dentro da garagem. Eu então pedi pra ela acelerar sem dó enquanto eu pegasse meus documentos pra ir numa oficina ver se precisaria trocar a bateria.

Pedi pra ela acelerar bem forte e desse umas esgoeladas pra fazer a bateria carregar. Ela então começou a acelerar bem forte. Pisava e soltava até o fundo, pisava e soltava até o fundo. O carro estava gritando deliciosamente e eu corri pro banheiro pra gastar a minha energia escutando aquelas aceleradas, imaginando aqueles pezinhos apertando o acelerador.

O melhor estava pro vir, quando eu entrei em casa ela começou a fazer o carro gemer, pisava até o talo e entrou num ritmo gostoso. Ela pisava forte até o fundo por umas 4 vezes e depois dava uma esgoelada, segurando o acelerador no talo por uns 3 segundos. Depois mais 4 fincadas de pé e mais uma esgoelada sem dó.

Fez isso por algumas vezes, enquanto eu me acabava de prazer no banheiro escutando o carro sofrer. Quando saí de casa fui até a porta do motorista, com as pernas bambas e pedi pra que ela desligasse o carro e ligasse outra vez. Ela então deu 2 pisadas fortes e desligou. Esperou um tempo e deu partida apertando o acelerador até a metade.

O carro pegou rapidamente e ela disse que sabia o que estava fazendo, e deu risada. Eu disse que ela realmente sabia. Pedi pra ela acelerar mais um pouco. Ela então deu mais 6 aceleradas bem fortes, até o talo. Pedi pra ela dar uma esgoelada. Ela estava a vontade e afundou o pé no acelerador bem rápido com aquele sapato lindo esticando aquele calcanhar delicioso.

Ficou com o pé atolado no acelerador por uns 6 segundos até eu pedir pra ela parar. Ela saiu do carro e foi embora relembrando que marcaria para alguém buscar os móveis.

Mulher Acelerando Renault Duster


Estes dias estava com o carro estacionado no centro da cidade, era mais ou menos umas 7:30 da manhã. Eu estava esperando abrir uma ótica para buscar minhas lentes.

Uns 5 metros pra frente Havia um Renault Duster parado em frente a uma casa. Eu estava escrevendo em meu celular quando saiu uma mulher de camiseta, bermuda jeans e sandália preta. Fiquei reparando enquanto ela fechava o portão da casa, tentando imaginar como seriam aqueles pezinhos.

Ela era baixinha e devia ter uns 45 anos. Ela logo trancou o portão e entrou no carro. Reparei que ela tentou abrir a porta do carro com o controle do alarme mas a luz do carro não piscou. Ela então abriu a porta do carro com a chave, entrou e fechou a porta.

Eu abri os vidros do meu carro e desliguei o rádio para ouvir a partida do carro. A rua estava  vazia ainda, passaram-se 5 minutos e eu não escutei a partida do carro. Então a mulher saiu e abriu o capô do carro. Meu coração disparou! Tinha certeza que o carro dela estava sem bateria.

Ela então viu que eu estava no carro e se encaminhou até mim. perguntou se eu poderia ajudá-la pois o carro estava com a bateria fraca. Eu disse que poderia e que tinha cabos de bateria em meu carro para auxiliar.

Ela demonstrou alívio e seguiu em direção ao carro enquanto eu liguei meu carro para manobrar e colocar em posição de ligar as baterias. Enquanto eu ia fiquei reparando no calcanhar dela. Era branquinho e lisinho, bem suculento. Devia ser uma delícia de chupar.

Estacionei o meu carro na posição correta e peguei os cabos de bateria. Perguntei se era a primeira vez que acontecia e ela me disse que com o Duster era a primeira vez, mas tinha acontecido com muitos outros carros dela.

Eu então liguei os cabos em minha bateria e me encaminhei para conectá-los à bateria do carro dela. Ela já foi se encaminhando para o Duster para dar partida. Pedi que ela esperasse um pouco para que a energia circulasse entre os carros, pois meu carro ainda estava com motor frio, portanto eu achava que poderia não funcionar.

Ela me disse que tudo bem mas que precisava tentar rápido para não se atrasar. Eu disse que poderíamos agilizar então para que ela chegasse ao destino a tempo. Pedi a ela que esquentasse o motor do meu carro acelerando ele.

Ela se encaminhou para meu carro, acomodou-se no banco e apertou o acelerador até a metade e ficou segurando. O ronco do motor era moderado. Eu fiquei fingindo segurar o cabo ligado à bateria enquanto ficava excitado imaginando aquele pezinho acelerando.

Soltei os cabos e fui até a porta do motorista do meu carro e mostrei a ela onde a temperatura deveria estar para ela ligar o carro dela, então pedi que ela acelerasse forte meu carro para poder esquentar rápido.

Ela então começou a dar aceleradas fortes no meu carro sem constrangimento. Pisava até o fundo e soltava. Deu umas 10 aceleradas até o fundo, soltando e pisando. O pezinho dela era demais e quando ela acelerava até o fundo esticava a perna e mostrava a curvinha linda entre o pezinho e a sandália.

Depois das 10 aceleradas ela parou, esperou um tempo, e viu que a temperatura havia subido um pouco, acelerou de novo forte e soltou, mais uma vez e soltou. pedi pra ela acelerar forte mais algumas vezes. Ela então deu 5 pisadas fortes até o fundo e não soltou totalmente e já pisou outra vez.

Meu carro Roncou alto enquanto eu ficava de perna bamba vendo aqueles pezinhos branquinhos acelerando forte. Eu então disse que acho que já dava, mas, por segurança eu ficaria segurando os cabos da bateria.

Ela saiu do meu carro e já foi se acomodando no carro dela. Deu partida a primeira vez e o carro não pegou. Tentou a segunda e ele ainda não pegou. Ela deu umas 5 bombadas no acelerador e deu partida outra vez. O carro não pegou. Ela então começou a bombar o acelerador forte tipo tirando o pé do chão e afundando o acelerador. Deu umas 10 bombadas assim e deu partida. O carro ainda não pegou. Ela deu um tempo.

Depois de um minuto eu soltei os cabos e me encaminhei para a porta do motorista do carro dela que estava aberta. Disse que o carro deveria legar logo pois a bateria devia estar descarregada. Ela então começou a dar bombadas no acelerador. Depois de umas 15 bombadas ela deu partida no carro mas sem parar de socar o acelerador. Quando o carro começou a querer pegar ela aumentou o peso e a velocidade daqueles pezinhos. Bombou forte o acelerador  e rápido até que o carro pegou.

Quando o Duster deu partida ela continuou bombando o acelerador fazendo o carro gritar alto. Bombava rápido e forte que o carro quase engasgou. Mas ela estava no controle! Quando ele ameaçou engasgar ela parou de bombar o acelerador e deu umas aceleradas até o fundo e soltou. Deu umas 4 aceleradas assim, quando viu que o carro não ia engasgar ela começou a fincar o pé sem dó. Eu estava ao lado assistindo a cena mais incrível dos últimos tempos. Ela metia o pé no acelerador fazendo o Duster urrar sem parar. Ela pisava sem dó mesmo. Apertava até o fundo em sequência mas não soltava até o fim o acelerador. Pisava até o talo, voltava na metade e pisava tudo de novo. Fazia isso com certa velocidade não dando trégua pro Duster.

Depois de umas 10 aceleradas dessa ela fincou o pé e segurou. Esmagou o acelerador que dava pra ver seus dedinhos brancos apertados contra a sandália apertando o acelerador até o fundo. O motor gritava alto sem trégua e ela esticava aquela perna lisinha.

Depois de uns 4 segundos ela soltou o acelerador e voltou a pisar forte e soltar até a metade. Mais umas 5 aceleradas fortes sem dó.

Aí eu disse pra ela que ia desligar os cabos pra ver se tinha resolvido. Ela disse ok e desligou o carro. Eu desliguei o cabo da bateria dela e disse que ela podia ligar o carro. Ela então deu a partida e o carro girou pesado a partida como se não fosse pegar.

Ela logo voltou no acelerador e bombou rápido e forte. O carro pegou e ela começou a esgoelar ele sem medo e sem dó. Afundava o pé e fazia o motor gritar muito. Pisava e soltava até o fundo sem voltar o pedal todo e já fincava de novo o acelerador no fundo em rápido. Parecia que estava descontando a raiva. Deu umas 20 aceleradas dessa e depois fincou o pé e segurou no fundo. O motor do carro estava gritando muito e ela não mostrou que queria parar. Ela segurou o acelerador no talo por uns 7 segundos e soltou.

Deu mais umas 6 esgoeladas no carro e parou. Eu disse que achava que não ia dar mais problema. Ela desligou o carro. Esperou um tempo. E foi dar partida outra vez, mas com o acelerador todo no fundo. Girou a chave e o carro logo urrou alto e ela soltou, deu mais algumas aceleradas fortes, me agradeceu e saiu com o carro.