Girl Revving VW PUMA


Walking through the center of town, I saw a blond woman in her 40’s, wearing a pair of clogs that showed only her heel. She was opening the door of a Puma, an old car made on the Beetle platform, so with those perfect pedals to watch a Pedal Pumping show.

When she came in and unlocked the door I walked faster to see if I was going to drive barefoot. As I passed, I stared out the window as she pumped the gas pedal before cranking the car.

She was pounding hard on the gas before starting. The traffic light closed to the pedestrians and I was paying attention to the car to see if it start. After a few tries she started with the pedal down, when the car started it was accelerated, but not to the floor.

She took a few half-way revs and got out when the car died. She started again but the car did not start. She then gave some more pumping on the gas and started again. As long as the light did not open I listened to the sounds and movements of her inside the car.

When starting the car again, it start up faster than the first time. She gave some more revs, stronger than the middle and was going away. When the car almost die again.

When the car almost to die, she soon stepped on the clutch and gave 3 allthe way to the floor revs. It stomped loudly until the end. There is a smoke characteristic of the exhaust when it revs. The car moaned loudly, drawing attention in the street.

After the 3 revs to the floor, she gave a few more middle revs and then 3 or 4 revs to the floor, holding the gas down in the last one. That poor engine scream hard that time cleaning the carburator and the exaust. What a fast Extreme Revving Girl Show!

Custom Pictures Available


PedalVamp is now Doing Custom Pictures Set.

Choose the model, choose the poses … and we will make a fantastic pictures set for you !!
For infos send a message to pedalvamp@gmail.com !!

 

Beautiful Models with Perfect Feet

miss-vickymiss-iris

miss-black

miss-melaine

 

 

 

 

 

 

 

 

 

http://www.pedalvamp.com

Executiva Pisando tudo na Blazer


Lembro de um dia estar no Shopping, ainda era novo. Tinha uma mulher no estacionamento com uma Blazer com capô aberto. Era uma mulher bonita, de salto alto preto e meia-calça. Ela estava sem bateria pois o segurança do shopping estava levando até o carro dela uma daqueles Carregadores de Bateria.

Fiquei observando de longe enquanto eles conversavam e fui me aproximando aos poucos. Ele conectou os cabos no carro e pediu pra ela esperar. Ela já estava sentanda ao volante com a perna esquerda pra fora e o pezinho direito dentro daquele salto alto já encostado no acelerador. Acho que ela sabia bem o que fazer. Então o cara mandou ela dar partida no carro. Ela deu a primeira partida com o pé atolado no acelerador e a Blazer começou a girar muito lentamente o motor  mas não pegou. Ela tentou outra vez sem soltar o pedal do fundo. A blazer outra vez não pegou. na terceira tentativa o cara disse pra ela bombar o acelerador. Ela então deu partida pisando e soltando o acelerador até o fundo e voltando.

Depois de alguns segundos a Blazer pegou e a mulher já deu logo tr6es pisadas até o fundo, tipo apertando e soltando. O Motorzão roncou alto no shopping. Ela então continuou nas aceleradinhas enquanto o cara recolhia o cabo. Ele entregou o dinheiro pra ele e antes de sair ele disse pra ela acelerar. Ela respondeu sim ela tinha que acelerar bastante. Depois que ele saiu ela fechou a porta fechou os vidros e começou um showzinho de revving. Ela pisava até o fundo e a Blazer respondia. Deu umas 5 fincadas de pé sem dó e o carro gritou alto. Passei perto e dava pra sentir o cheiro do combustivel queimado. Enquanto ela continuava sua saga de aceleradas. Deu umas pisadas bem fortes e algumas esgoeladas sem medo. fiquei imaginando aquele salto empurrando o pedal até o chão e a cara de raiva dela.

Depois de mais algumas aceleradas sem dó mesmo ela saiu pelo estacionamento e foi embora.

Violentas Aceleradas na volta da Balada


Um dia estava voltando da balada e, numa grande avenida, devia ser umas 5h da manhã, tinha um grupo de 3 mulheres voltando pra casa. Elas deviam estar voltando a pé. Olhei pelo retrovisor e fiquei imaginando se alguma delas podia dar umas aceleradas, eu estava bem cansado mas pensei que não custava nada tentar. Encostei o carro. Esperei um tempo com o capô aberto e, para minha surpresa, só umas das meninas continuou a caminhada as outras devem ter entrado nos prédios da avenida.

Então eu perguntei se ela podia me ajudar, estava com o capô aberto e o carro ligado. Ela perguntou se eu tinha acabado de passar por elas eu disse que sim mas que tinha acendido uma luz no painel do carro indicando temperatura alta e eu queria verificar aquilo.

Ela disse que não entendia nada de carro e nunca tinha dirigido. Eu disse que era simples eu precisava que ela acelerasse o carro pra mim. Ela aceitou e foi sentando no banco, meio sem graça, com aqueles keds branquinhos. Era uma moça meio feiinha e magra, mas apostei na potência de seus pesinhos.

Pedi pra ela acelerar o carro e ela disse que eu deveria dizer como fazer. Nesta hora imaginei que a sessão de revving era promissora. Eu cheguei na porta do motorista e disse que o acelerador era o da direita. Era só pisar e nada mais. Ela sem noção nenhuma, pisou no acelerador com tudo e quando o carro urrou ela tomou um susto. Eu ri e disse para acelerar sem medo.

Pedi pra ela pisar de novo e ela acelerou até o fundo e soltou rápido. Eu disse que ela devia pisar sem medo. Ainda na porta do motorista, disse, pode afundar o pé sem dó e segurar. Ela então pisou meio com receio até o fim deu uma seguradinha e soltou. Eu disse finca o pé mesmo sem medo e ela fincou o pé sem dó. Ficou segurando e o carro gritava alto com aquele keds travado no acelerador. Ela se segurando no banco meio com receio e eu ficando maluco com aquele revving escandaloso até que pedi pra ela soltar.

Ela disse que ia estragar o carro daquele jeito. E eu disse pra ficar tranqüila e pedi pra pisar e soltar. Ela começou. Pisar e soltar até o fundo bem rápido. E eu ao lado disse pra ela apertar até o fundo mesmo, que iria verificar o motor. Fui pra frente do carro e ela pisava até o fundo e soltava, pisava e soltava, pisava e soltava e o carro gritava cada vez que ela apertava o acelerador.

Voltei para a porta do motorista e disse pra ela realmente acelerar, sem medo e sem dó. Pois eu queria verificar o motor quando ele estivesse bem quente. Pra ver se tinha problema. Expliquei como ela deveria fazer e ela realmente fez como eu pedi. Aí o pedal pumping foi de outro planeta. Ela começou acelerando gradativamente mais forte. Começou a pisar até o fundo e soltava até a metade e apertava de novo. Depois começou a pisar até o fundo, soltar por um tempo e pisar outra vez, até o fundo. Fez isso umas 5 vezes. Então eu disse pra ela fincar o pé de uma vez e segurar sem medo. Ela atolou o pé e ficou segurando sem dó. O carro gemia e gemia e eu pedi pra ela apertar mais fundo e ela então se esticou e pressionou o acelerador ainda mais. O carro estava chacoalhando e ela continuou com o pezinho atolado no acelerador. Depois de uns 15 segundos eu pedi pra ela soltar. Ela estava ofegante. Acho que se assustou.

Pedi pra ela castigar outra vez e ela fincou o pé e se esticou novamente, eu fui apra a frente do carro enquanto ele gemia e chacoalhava. Voltei para a porta do motorista e disse pra ela soltar. Ela tirou o pé e nem olhava pro lado, só olhando pra frente ofegante. Eu disse que realmente estava com problema pois não deveria chacoalhar daquele jeito.

Agradeci o favor e ofereci carona, mas ela estava perto de casa e continuou a pé.

Pezinhos Branquinhos Acelerando de Sandália


Estava andando de carro pelo centro da cidade buscando uma vaga para estacionar. Vi um estacionamento aberto com um Hb20 com o capô aberto. Tinha uma mulher ao lado com as mãos na cintura, calca jeans e camiseta branca e uma sandália guardando pezinhos branquinhos.

Entrei rapidamente no estacionamento e uma mulher me parou pedindo para eu esperar um pois eles estavam trazendo um carro para ligar à bateria do HB20 e eu poderia parar na vaga do carro.

Eu perguntei se eles não queriam usar a bateria do meu carro já que estava ali e o motor estava quente. Poderia facilmente ajudar a ligar o carro da mulher.

A mulher do estacionamento rapidamente aceitou e pediu para o funcionário trazer o cabo pra ligar no meu carro. Eu abri o capô e a mulher do hb20 veio me agradecer. Eu disse que não precisava agradecer pois ja precisei da ajuda de outras pessoas também.

O rapaz trouxe o cabo e ligou na minha bateria e foi para ligar no HB20. Depois de conectado ele perguntou se o motor do meu carro estava quente e eu disse que sim. Aí pediu pra mulher dar partida no HB20. Pediu pra ela ligar e acelerar forte o carro.

Eu fiquei observando a cena reparando nos pezinhos branquinhos dela enquanto ela se encaminhava para seu carro.

Sentou-se ao banco e deu partida no HB20, ele só pegou na segunda tentativa, quando ele deu partida a mulher começou a dar aceleradas até o meio. Acelerou umas 5 vezes até o meio e, depois que o cara desconectou o cabo ela começou a meter o pé sem dó no acelerador.

O carrinho gritou alto e ela deu umas boas esgoeladas sem dó. Depois começou a dar aceleradas fortes mas sem exagero. A mulher pediu pra eu fechar o capô do meu carro para tirá-lo da entrada do estacionamento.

Eu fechei e entrei no carro pra estacionar e abaixei os vidros pra escutar o ronco do HB20. Quando fui manobrando pra parar na vaga ouvi a mulher castigando outra vez o pobre HB20, Deus mais umas esgoeladas deliciosas no carro. Ela pisava firme até o talo sem dó. Pisando e soltando sempre com força na pisada e soltando até a metade e já pisando tudo de novo.

Quando fui sair peguei meu papel de horário e a mulher estava saindo com o HB20, ainda dando boas aceleradas cada vez que pisava na embreagem. Antes de sair do estacionamento deu mias 2 fincadas de pé fazendo o motor urrar. Enfim foi embora e e fiquei excitadíssimo com aquela cena.

A Morena da Marajó Acelerando Meu Carro


Depois de dar carona para a morena da marajó, fiquei sabendo qual era o percurso dela para voltar pra casa e um dia eu resolvi arriscar ver mais aceleradas dela. Parei meu carro próximo de onde a ajudei e abri o capô do carro para simular um problema e fiquei encostado no carro por uns quinze minutos.

Quando vi aquela marajó eu fiquei animado e fingi estar no celular. Ela me avistou e encostou o carro. Desceu e me perguntou se eu precisava de ajuda. Eu disse que a bateria tinha arriado e precisava dar um jeito de ligar o carro. Ela me perguntou se eu queria dar um tranco. Eu disse que tinha os cabos para ligar em outra bateria, se ela pudesse virar o carro dela de frente pro meu seria rapidinho.

Ela concordou e foi andando com sandálias e aqueles lindos pezinhos pra manobrar o carro.

Quando abri o capô do carro dei uma olhada na bateria e vi que era mais fraca que a minha. Ela desceu e me viu conectando os cabos no meu carro. Ela perguntou o que deveria fazer? Eu disse que a bateria dela era mais fraca que a minha por isso teria que ser jogo rápido a partida pra não descarregar a dela.

Perguntei se o motor do carro dela estava quente o suficiente pra não morrer, ela disse que não tava muito não pois não tinha andando muito. Mas que ia dar uma esquentada. Eu disse que seria melhor. Ela foi para o carro dela e deu umas 4 aceleradas até o meio e mais 3 pisadas bem fortes e depois uma até o meio e mais demorada.

E desceu do carro dizendo que a temperatura do motor estava na metade. Eu disse pra ela dar partida no meu carro e assim que ele pegasse eu desligaria os cabos da bateria dela pra não drenar a energia. Ela disse ok. Eu pedi pra ela dar partida e não deixar o carro morrer. Pedi pra ela meter o pé no acelerador de uma vez.

Ela concordou e sentou ao volante. Deixou o pezinho esquerdo do lado de fora do carro e posicionou o pezinho apertando o acelerador. Eu olhava o cabo do acelerador se mexendo e fui ficando muito excitado. Fingi que conectei o cabo no carro dela e acenei com a cabeça pra ela dar partida.

Ela bateu na chave e o carro pegou já acelerado. Ela ligou com o pé no acelerador pra mais da metade. Eu fui desconectando o cabo enquanto ela pisava no acelerador. Apertava e soltava cada vez mais forte. eu ouvia o motor roncando e o cabo do acelerador mexendo e me excitava mais cada vez que ela pisava mais forte.

Ela foi pisando cada vez mais forte e começou a pisar bem fundo. O motor gritava e ela castigava o acelerador pisando sem dó até o fundo. Soltava e metia o pé outra vez. Eu enrolei os cabos e fui ver o show ao lado da porta do motorista. eu disse a ela pra pisar até o fundo e ela então meteu o pé sem dó segurando no fundo. Depois de alguns segundos soltou e eu pedi outra e ela atolou o pezinhos de novo. Dava pra ver aqueles dedos trabalhando dentro da sandália fazendo o carro urrar alto sem medo nem piedade.

Depois de umas 4 atoladas de pé até o fundo segurando o acelerador ela começou a dar violentas aceleradas tipo apertando até o fundo e soltando até a metade e eu dizia pra pisar mais e mais e mais e ela atendia metendo o pezinho no acelerador sem dó. Depois de mais algumas esgoeladas eu disse que estava a bom e e agradeci a ajuda. Nos despedimos e nos encontramos outras vezes.